terça-feira, novembro 23, 2010

Porque gritamos?

Mahatma Gandhi

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta aos seus discípulos:

"Porque é que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?"

"Gritamos porque perdemos a calma", disse um deles.
"Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?" Questionou novamente o pensador.
"Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça", retrucou outro discípulo.
E o mestre volta a perguntar:
"Então não é possível falar-lhe em voz baixa?" Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.

Então ele esclareceu:
"Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?"

O facto é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, os seus corações afastam-se muito.
Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para se ouvirem um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão apaixonadas? Elas não gritam. Falam suavemente. E porquê? Porque os seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes os seus corações estão tão próximos, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer de sussurrar, apenas se olham, e basta. Os seus corações entendem-se. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas."

Por fim, o pensador conclui:
"Quando vocês discutirem, não deixem que os vossos corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta".

domingo, setembro 12, 2010

Aprendi!


Aprendi que amar não significa ter,
mas pode significar abdicar;
Aprendi que a distância faz-nos ver as coisas com os olhos da realidade,
mas não apaga os sentimentos verdadeiros;
Aprendi que preciso pensar em mim e no que as minhas atitudes vão 
causar sem me preocupar sempre da perspectiva dos outros;
Aprendi que nem sempre está presente quem queremos que esteja
mas não significa que não se preocupe connosco;
Aprendi que a dor nos faz crescer e ficar fortes,
mas que poderiamos evitá-la muitas vezes;
Aprendi que há momentos na vida que não importa o que eu sinto, o que eu acho que os outros sentem
porque simplesmente nada faz sentido e só uma coisa chamada tempo
dirá a palavra final;
Aprendi que o silêncio é algo necessário
mas tão incompreendido por vezes;
Aprendi que a vida é muito mais do que aquilo que sentimos,
vemos ou está ao nosso redor;
Aprendi que viver significa olhar para além do presente e acreditar
que a história da nossa vida ainda não terminou;
Aprendi que viver não é compreender,
mas que muitas vezes deixamos de viver para tentar compreender;
Aprendi que a saudade não morre
mas apenas adormece e sempre volta acordar;
Aprendi que nesta vida tudo é efémero
e o que realmente perdura
é o que geralmente pouco valor damos;
Aprendi que para ser feliz é preciso tão pouco
e esperamos sempre tanto;
Aprendi que sempre tinha razão quando dizia a frase
"o amor tudo vence até o bem e o mal"
pois o Amor é e sempre será a única arma com poder suficiente
para vencer todas as barreira
Amor no sentido mais amplo e abrangente
Amor no verdadeiro sentido da palavra;
Aprendi que sem Amor não se vive
apenas se sobrevive;
Aprendi que nem sempre sabemos amar
e que nada pode ser tido como garantido;
Aprendi que não basta as pessoas saberem o que significam para mim
mas que é preciso demonstrá-lo;
Aprendi que a vida é uma aprendizagem constante;
E espero ter aprendido que os erros não são para ser repetidos
e sim para serem um ensino para um novo caminho.

(Eu, uma caneta e um pedaço de papel na tarde de 28/08/2010)


quinta-feira, agosto 05, 2010

"Rende-te,
 mergulha no que não conheces,
não te preocupes em entender,
viver,
ultrapassa o entendimento!"


domingo, julho 18, 2010

Se hoje eu fosse



Se hoje eu fosse um sonho, eu vestiria esse vestido vermelho, calçaria aquelas sandálias de brilhantes pretas, ergueria minha cabeça, daria um passo em frente e sairia para conquistar o amor, esse que está escondido e fechado a sete chaves, chegaria de sorriso dócil e olhar sedutor com a certeza de que uma única chave chegaria para abrir a porta, sim sei que não seria assim tão fácil, é difícil renderes-te e entregares-te as barreiras permanecem, mas hoje sei que as quebraria, porque seria sonho e sonho tem permissão para tudo, mesmo que resistisses inicialmente eu te pediria tempo, não mais que esta noite, porque sou sonho e logo irei despertar, mas traria-te comigo para a realidade, solto, livre, disposto a ser e a sentir, sei que irias gostar de vir, afinal já te conheço um pouco, não ouso em dizer muito, podes querer contestar, mas não te darei oportunidade, apenas irei para te conquistar, abrir a porta e arrebatar-te para um novo mundo, chamado felicidade, aceitas?! Não precisas responder, porque eu sei que sim, tudo é possível no sonho...
Se hoje eu fosse um sentimento seria arrependimento.
Se hoje eu fosse uma lembrança seria saudade.
Mas como sou apenas sonho, hoje estou disposta apenas a conquistar a felicidade.

segunda-feira, julho 05, 2010

sexta-feira, março 26, 2010

Vale a pena ler!

 Fernando Pessoa

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.


Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...


Deixo aqui este texto para reflexão...
com o desejo de um Bom fim-de-semana para todos!

sexta-feira, janeiro 08, 2010

Para reflexão!

"Desrespeitamos tanto o tempo na nossa vida, não esperamos o tempo de nada, atropelamos o tempo de tudo, não temos nem sequer minutos para elaborar os tantos acontecimentos vividos."